Conheça diversos tratamentos caseiros para nervo ciático

O nervo ciático é o maior nervo de todo o corpo humano, composto de diversas raízes nervosas que partem da coluna vertebral. Ele começa no final da coluna, passa pelos glúteos e pela parte superior da coxa e quando chega na coxa, divide-se entre o nervo tibial e fibular comum, indo até os pés.

Nesse caminho, o nervo pode gerar dor com pontadas, sensação de formigamento ou choque elétrico. Quando há uma inflamação ou compressão do nervo ciático, aparece a dor ciática que gera sintomas como dor para andar, dificuldade para manter a coluna ereta e dor profunda no final das costas, pernas ou glúteos. É fundamental buscar um ortopedista ou fisioterapeuta para indicar qual o tratamento mais indicado.

Tratamentos caseiros

Para tratar o nervo ciático inflamado, existem diversas opções de tratamentos caseiros para aliviar a dor e o desconforto do paciente, confira:

Pomada de arnica

Flor de arnica.

Ingredientes:

  • 1 colher de chá de óleo essencial de arnica
  • 5 gotas de óleo essencial de alecrim
  • 12 g de óleo de coco
  • 10 g de cera de abelha
  • 10 g de manteiga de karité

Modo de preparo:

  • Derreter a cera de abelha, a manteiga de karité e o óleo de coco no microondas
  • Após, acrescentar o óleo essencial de alecrim e de arnica
  • Misturar bem e guardar em um pote fechado num local seco
  • Sempre que for usar a pomada, checar se está muito espessa e caso esteja, basta colocar em banho maria por alguns instantes até amolecer.

Compressas de eucalipto

Folhas de eucalipto.

Aplicar compressas mornas de folhas de eucalipto é um excelente remédio caseiro, pois o eucalipto possui propriedades anti-inflamatórias fortes e que auxiliam a reduzir a pressão sobre o nervo, gerando alívio de forma rápida para a pessoa. Como é usado em formato de cataplasma morno, esse tratamento também provoca o relaxamento dos músculos das costas ou da perna, gerando relaxamento e alívio.

Ingredientes:

  • 5 a 10 folhas de eucalipto

Modo de preparo:

  • Cozinhar as folhas, preferencialmente, no vapor
  • Quando amolecerem, usá-las como catapasma sobre a região em que começa a dor
  • Para conservar o calor das folhas por mais tempo, botar uma toalha morna por cima das folhas
  • Repetir o procedimento quando houver crises dolorosas todos os dias, por no mínimo, 20 minutos ou até as folhas esfriarem.

Cúrcuma (ou açafrão)

Açafrão.

Usar a cúrcuma para temperar a comida é uma ótima opção de tratamento caseiros, em virtude de suas propriedades anti-inflamatórias. É possível acrescentar a cúrcuma em molhos, no arroz e em carnes.

Também é indicado evitar o consumo de gorduras, açúcares, óleos, laticínios, excesso de proteínas de origem animal e embutidos, pois eles facilitam a formação de toxinas que favorecem a presença da inflamação no organismo. O recomendado é apostar em verduras, legumes e frutas, que podem ser consumidas em todas as refeições.

Leite de alho

Um prato com vários alhos em cima e alguns dentes soltos na volta.

Ingredientes:

  • 1 copo de leite
  • 3 cabeças de alho picadas (utilizar as cabeças, o bulbo completo, não os dentes do alho)
  • 1/4 de colher de chá de pimenta-do-reino moída na hora
  • Meia colher de cúrcuma em pó

Modo de preparo:

  • Cozinhar os ingredientes até a mistura se reduzir e ficar pouco espessa
  • Desligar o fogo e aguardar esfriar
  • Bater no liquidificador para o leite de alho ficar homogeneizado
  • Colocar em um recipiente esterilizado de vidro com tampa, fechando-o bem
  • Beber 3 colheres de sopa por dia. A melhor hora é antes das refeições principais.

Vinagre de maça

Uma maça e um vidro de vinagre de maça do lado.
  • Colocar água quente até a metade de um balde de 20 litros
  • Deixar a água na temperatura mais quente que os pés possam aguentar
  • Adicionar meio litro de vinagre de maça e um punhado de sal
  • Mexer bem a mistura
  • Botar os pés no balde e deixá-los lá até a água esfriar
  • Quando tirar os pés, enxugar e enrolá-los numa toalha seca, indo direto para a cama dormir
  • Manter os pés bem aquecidos
  • No dia seguinte, sair da cama com sandálias e não andar descalço
  • Utilizar sandálias na hora do banho
  • Repetir esse procedimento a cada 6 meses ou quando a dor voltar
  • Atenção: Esse tratamento não deve ser feito por pessoas hipertensas, devido ao sal.

Chá de gengibre

Uma xícara de chá de gengibre com um gengibre cortado em pedaços do lado.

Esse chá além de delicioso, possui um efeito anti-inflamatório para a dor no nervo ciático. E lembre-se: indivíduos hipertensos ou que façam algum tratamento com anticoagulantes devem consultar um médico para descobrir se há alguma restrição relacionado à algum ingrediente.

Ingredientes:

  • 1 pitada de gengibre
  • 1 raminho de canela
  • 1 pitada de cúrcuma
  • 1 colher de sopa de mel
  • 1 colher de chá de óleo de coco
  • 1 copo de água

Modo de preparo:

  • Ferver a água
  • Acrescentar a canela, o gengibre e a cúrcuma
  • Deixar em infusão por 15 minutos e deixar descansar por mais 10 minutos
  • Coar até ficar somente o chá
  • Acrescentar o óleo de coco e o mel.

Exercícios caseiros

Além dos tratamentos caseiros citados acima, também existem alguns exercícios que podem ser feitos em casa, para aliviar a dor e o desconforto.

Quando a pessoa estiver sentindo muita dor, os exercícios de alongamento para a coluna lombar, os glúteos e as coxas são os únicos recomendados.

  • Nesse exercício, a pessoa deve ficar deitada de barriga para cima, com os joelho dobrados, segurando uma perna de cada vez, e aproximar o joelho do peito, sentindo a coluna lombar alongando.
  • Repetir o processo com a outra perna, mesmo que não haja dor nela.
  • Manter o alongamento por cerca de 30 segundos e repetir 3 vezes.

Quando a dor já estiver diminuindo, para evitar uma crise nova de dor ciática, é preciso fortalecer a musculatura abdominal, e, portanto, exercícios de Pilates indicados por um fisioterapeuta são os mais recomendados.

  • Nesse exercício, o paciente deve ficar deitado de barriga para cima, com os joelhos dobrados, encolher a barriga, levando o umbigo em direção as costas, e manter a contração abdominal enquanto respira de novo.
  • Nessa posição, deve-se levantar uma perna, com o joelho dobrado, manter essa posição por 5 segundos e abaixar a perna. Quando elevar a perna, expirar. Realizar esse exercício alternando as pernas por 5 vezes, com cada perna.

https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/92888

http://www.scielo.br/pdf/rbfis/v12n3/a09v12n3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *