Saiba quais os tratamentos para Hérnia de Disco

O que é?

A Hérnia de Disco é o abaulamento do disco intervertebral, que pode provocar sintomas como dor nas costas e sensação de dormência ou queimação. Ela costuma ser mais frequente na coluna lombar e na coluna cervical, por serem regiões mais expostas ao movimento e aguentam mais peso.

Tratamento

Hérnia de Disco Lombar

Raio-x de um esqueleto de uma pessoa com a parte inferior da coluna em vermelho.

Na Hérnia de Disco Lombar a área do corpo atingida é a parte final das costas, em que o espaços mais acometidos são L5 e S1 ou L4 e L5. O tratamento para a Hérnia Lombar pode ser realizado com o uso de anti-inflamatórios como Naproxeno ou Ibuprofeno, recomendados pelo ortopedista ou clínico geral e caso não sejam suficientes, podem ser indicadas injeções de corticoides a cada 6 meses. O tratamento deve conter também sessões de fisioterapia e em casos mais graves, a cirurgia e o tempo varia para cada paciente, devido aos sintomas apresentados e a sua rotina diária. Confira algumas opções para o tratamento:

Fisioterapia

A fisioterapia auxilia no alívio dos sintomas gerados pela doença e na sua recuperação. Ela pode ser feita todos os dias, e em caso de dor aguda, no mínimo 3 vezes por semana. Podem ser usados aparelhos para o controle da dor e da inflamação e exercícios recomendados para o fortalecimento dos músculos da região abdominal e das costas, recomendados pelo fisioterapeuta. Também pode ser feito a osteopatia, uma vez por semana, com um osteopata ou fisioterapeuta.

Conforme o estado de saúde do paciente, podem ser realizados alguns exercícios de Pilates ou RPG (Reeducação Postural Global) com supervisão. Exercícios de musculação só podem ser feitos normalmente quando não existe nenhum sintoma, com supervisão do professor da academia e orientação médica.

Cirurgia

A cirurgia é delicada e é recomendada somente em último caso, quando nenhuma das outras opções forem suficientes. Um dos riscos da cirurgia é a piora dos sintomas, em virtude das cicatrizes que formam-se comprimindo o nervo ciático.

Hérnia de Disco Cervical

Mulher de costas com o pescoço em vermelho.

A Hérnia de Disco Cervical acontece quando existe uma compressão do disco intervertebral que localiza-se na área do pescoço, entre as vértebras C1 e C7. O tratamento varia dependendo da gravidade da doença e nem sempre tem cura, especialmente quando existe uma grande degeneração das vértebras envolvidas e do disco. Porém, o tratamento pode apresentar resultados excelentes e o paciente pode parar de sentir dor. Confira algumas opções de tratamento:

Compressas quentes

Usar uma bolsa de água morna no pescoço, de 3 a 4 vezes ao longo do dia, auxilia no alívio da dor e é excelente para fazer em casa, antes de alongamentos, pois possibilitam uma amplitude maior dos movimentos.

Fisioterapia

São feitas sessões diárias de fisioterapia, em que podem ser utilizados equipamentos que auxiliam no controle da dor, proporcionando o controle da dor, melhora nos sintomas e na movimentação da cabeça. São recomendados também recursos que aquecem a área do pescoço, favorecendo a realização de massagens e alongamentos que reduzem a rigidez dos músculos.

Além disso, técnicas de terapia manual, como tração cervical e manipulação vertebral são ótimas opções para aumentar o espaço entre as vértebras, reduzindo a compressão do disco vertebral.

Remédios

O médico pode receitar medicamentos anti-inflamatórios e analgésicos para combater a dor de cabeça e dor no pescoço que podem aparecer em virtude da hérnia. Além disso, pomadas como Reumon Gel ou Cataflan são ótimas para quando a pessoa estiver com dor. Mesmo que os remédios proporcionem o alívio dos sintomas, é preciso realizar a fisioterapia para realmente tratar a hérnia e impedir que ela piore.

Exercícios

Exercícios de alongamento podem ser feitos desde o começo do tratamento e podem ser feitos em casa também, de 2 a 3 vezes ao longo do dia, quando a pessoa sentir o pescoço preso e estiver com dificuldade de fazer movimentos. O pilates clínico é excelente para o tratamento, quando não há mais dor e inflamação, e possibilita uma melhora da postura, da posição dos ombros e da cabeça, dos sintomas e previne que a hérnia fique pior.

Cirurgia

A cirurgia é delicada e só é indicada quando o indivíduo sente muitas dores e elas não passam após várias sessões de fisioterapia e a tomada de anti-inflamatórios. Ela não garante a cura da hérnia, porém pode reduzir os sintomas, melhorando a qualidade de vida do paciente.

Tipos de Cirurgia

Cirurgia de hérnia de disco.

O tipo de cirurgia varia de acordo com a localização da hérnia, da necessidade de cada paciente ou da técnica disponível no hospital e são determinadas pelo neurocirurgião ou pelo ortopedista. Conheça os principais tipos:

Cirurgia Tradicional

O procedimento é realizado com a abertura de pele, com um corte, para chegar na coluna. O lugar de acesso à coluna pode ser pelas costas ou pela lateral, na hérnia lombar ou pela frente, na hérnia cervical.

A cirurgia geralmente é feita com anestesia geral, e pode ser retirado todo ou uma parte do disco invertebral que está danificado. Após, pode ser utilizado um material artificial para substituir o disco retirado ou um material para unir as duas vértebras e o tempo varia para cada paciente, mas normalmente dura em média 2 horas.

Cirurgia Minimamente Invasiva (Cirurgia a Laser)

Nessa cirurgia são usados técnicas novas que proporcionam uma abertura menor na pele, que promovem uma menor movimentação das estruturas em volta da coluna, um menor risco de complicações, como infecções e sangramentos e um tempo de cirurgia mais curto. Ela pode ser feita com sedação e anestesia local e dura em média 1 hora ou menos. Durante a cirurgia, pode ser usado um aparelho a laser ou de radiofrequência para retirar a parte herniada do disco.  As técnicas usadas são:

  • Cirurgia endoscópica: É feita uma inserção de pequenos tubos na pele, um com câmera, o que permite um processo sem precisar abrir muito a pele e manipular diversas estruturas da coluna.
  • Microcirurgia: É feita a manipulação do disco intervertebral com o auxílio de um microscópio cirúrgico, o que exige uma menor abertura da pele. Pequenos nervos em volta da hérnia podem ser cauterizados para reduzir a dor.

A cirurgia pode provocar algumas complicações, porém o risco é bem pequeno, especialmente devido aos aparelhos e as técnicas modernas que vêm sido usadas. As principais complicações que podem aparecer são:

  • Sangramento
  • Infecção
  • Lesão de nervos em volta da coluna
  • Persistência da dor na coluna
  • Dificuldade em movimentar a coluna

O pós operatório varia conforme a cirurgia. Na cirurgia tradicional, o tempo de internação pode chegar até 5 dias. Na minimamente invasiva, o tempo é de 2 dias. Para voltar ao trabalho ou dirigir com a cirurgia convencional, é preciso repousar por no mínimo 2 semanas. Na cirurgia minimamente invasiva, a recuperação é mais rápida, em média 10 dias. Exercícios físicos só estão liberados após 1 mês do processo cirúrgico.

https://www.redalyc.org/html/657/65790405/

http://bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis&src=google&base=ADOLEC&lang=p&nextAction=lnk&exprSearch=283046&indexSearch=ID

https://www.revistas.usp.br/fpusp/article/view/75042

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *